Escolha o idioma:

English | Chinese

Panorama do setor têxtil e de confecção

O continente asiático concentra os principais produtores têxteis do mundo e é responsável pela produção de quase 70% de têxteis e de mais de 65% de produtos de vestuário consumidos mundialmente, segundo dados do IEMI – Instituto de Estudos e Marketing Industrial.

Entre os 15 maiores produtores de têxteis mundiais, oito estão no continente asiático, com destaque para China, Índia, Paquistão, Indonésia, Taiwan, Coréia do Sul e Tailândia, que estão entre os dez primeiros colocados. Já entre os 15 maiores produtos de itens do vestuário, nove são asiáticos sendo que China, Índia e Paquistão ocupam as três primeiras colocações.

Neste cenário, a China ocupa uma posição de destaque. O país mais populoso do planeta é responsável por mais de 50% da produção mundial de têxteis e de 47% da produção de peças de vestuário.

O Brasil é o único país da América do Sul com posição de destaque na produção têxtil mundial. O país é responsável por 2,4% da produção mundial de têxteis, o que lhe garante a quinta posição no ranking mundial, e é o quarto maior produtor de vestuário com 2,6% da produção mundial.

 

grafico_1

 

A produção chinesa atende ao consumo interno e externo, mais de 33% das exportações mundiais são de origem chinesa, número que chega a 37,5% se forem consideradas as exportações da região administrativa de Hong Kong.

O Brasil, apesar de ser um dos grandes produtores/consumidores mundiais do setor, tem uma participação ainda pequena no comércio internacional, ocupando o 33º no ranking de exportação de produtos têxteis e de vestuário, característica de uma economia voltada ao mercado interno com baixo volume para exportação.

Em importação, o líder do ranking mundial são os Estados Unidos, detendo 15,5% do volume total em produtos de vestuário. Já em manufaturados, a líder é a China. A posição do Brasil em relação à importação não é muito diferente a das exportações, ocupando a 25ª colocação.

 

grafico_2

 

Oportunidades no Setor Têxtil Brasileiro

O Brasil, um dos BRICs, com uma população de 200 milhões de habitantes e diversos recursos naturais, é agora a sétima economia do mundo e a primeira da América do Sul. O forte crescimento da economia e as múltiplas e diversificadas demandas de mercado demonstram o potencial ilimitado do Brasil.

Em 2012, o PIB do Brasil era de U$ 2.252 trilhões, sendo 60% contribuição do consumo familiar. Sua população de classe média é superior a 95 milhões de pessoas e a renda per capita passa de U$ 355,60, segundo o Atlas de Desenvolvimento Humano 2013 publicado pela ONU – Organizações das Nações Unidas.

Em valores monetários, a indústria têxtil do Brasil produziu US$ 58,4 bilhões dólares em 2012, o que equivale a 5,5% do valor total produzido pelas indústrias manufatureiras brasileiras, excluindo as atividades de mineração e construção civil.

Segundo estimativas do IEMI, o investimento total feito na indústria têxtil em 2012, em modernização e/ou expansão da capacidade de produção (maquinário, instalações, treinamento, etc.), alcançou US$ 1,9 bilhão, o que representa um aumento de 7,3% em relação a 2011, com uma expansão acumulada de 40,1% para o período de 2008 a 2012.

 

grafico_3

 

Em 2012, as exportações brasileiras, incluindo as fibras têxteis e produtos de vestuário, cresceram 26,7% em relação ao ano anterior. O volume de fibras têxteis exportadas pelo Brasil em 2012 cresceu 27% em comparação com 2011. Neste cenário, o destaque são as fibras de algodão, que registraram um crescimento nas exportações acima de 38% em toneladas. No mesmo período, de 2011 a 2012, a exportação dos produtos de vestuário caíram mais de 21%.

 

grafico_4

 

As importações brasileiras de artigos têxteis em 2012, incluindo as fibras têxteis, caíram 7,3% em toneladas em comparação a 2011, totalizando US$ 6,7 bilhões. Entretanto, de 2008 a 2012, o volume cresceu em 23,4% e o valor foi 73,9% mais alto.

O segmento de vestuário, que cobre todos os tipos de roupas, teve um crescimento de volume de 12,5% e de 25,8% de valor entre 2011 e 2012, resultando em US$ 2,25 bilhões investidos na importação de produtos. De 2008 a 2012 o volume de produtos de vestuário importados pelo Brasil mais do que dobrou, chegando a 106%, e o valor mais do que triplicou alcançando 204% de crescimento.

Já no segmento de tecidos para o lar, o volume em toneladas cresceu 69% e em valores atingiu 105% de crescimento, entre 2008 e 2012. Totalizando 59.487 toneladas importadas em 2012.

 

grafico_5

 

grafico_6

 

Quando avaliadas as regiões é possível perceber que o Sudeste se destaca por concentrar maior volume de mercados consumidores e ser o centro de distribuição de atacado e varejo do país.

São Paulo, a cidade ideal para receber o GO TEX SHOW

São Paulo, com uma população de 17 milhões e 1.500 km2 de área, é o maior centro comercial, industrial, financeiro e cultural no Brasil. É também um importante agrupamento da indústria têxtil, com mais de 300 fabricantes locais, o que contabiliza 60% dos 500 maiores no Brasil.